Tem gente que ainda não se ligou. Os partidos conservadores estāo em sua maioria intrinsecamente ligados às igrejas pentecostais com ideologias de extrema direita nacionalista, “família, pátria e tradição”, com avanços de efeito manada.
A retórica esquerda-direita, herdada da revolução francesa (1789-1799), onde os chegados do rei no parlamento ficavam à sua direita e os revolucionários à esquerda, ganhou novos rumos na sociedade contemporânea tupiniquim.
No Brasil confundia-se até pouco tempo essa premissa da direita como o poder vigente e a esquerda a oposição. Os subversivos comunistas, como eram rotulados na ditadura militar.
Hoje a conversa é outra. Liberais muito liberais e conservadores fundamentalistas.
O confronto é este. As pautas de gênero, por exemplo, tomam conta dos embates entre “comunistas e patriotas”. O Brasil caminha para trás a passos largos.
Alguns partidos, como o PRD da Igreja Universal de Mário Oliveira, abraçou causas democráticas em sua trajetória. Eu reportei em Brasília a sua participação na redemocratização do País, mas a pauta conservadora recrudesceu.
O discurso do PL do capitão Jair Bolsonaro, da extrema e ultra direita, foi abarcado pelos pentecostes que defendem estes princípios conservadores do Púlpito, confrontando o liberalismo exacerbado do PT, da dramaturgia televisiva e do meio artístico e intelectual.
Jesus e o satanás com suas pautas de gênero –o ponto alto da discórdia, alimentado pelo aborto, armas, comunismo (sic), a sociedade mundana, a família em risco, o maniqueísmo da esquerda retrógrada, tudo isso em brados nas igrejas,
resenhas e redes sociais.
O Brasil descendo ladeira abaixo, trocando.a pauta econômica por divergências de pensamento, opções sexuais e mudanças de comportamento. A inquisição.
Parece as cortesãs de Veneza do século XVI julgadas pelos reis e a igreja pelo seu envolvimento com os adúlteros da aristocracia local.
UM ADENDO: nas eleições de 2012 em Nova Lima a Igreja do Evangelho Quadrangular exigiu do então prefeito petista Carlinhos Rodrigues um terreno no bairro Bonfim em troca de votos. Os pastores pediriam aos fiéis para votarem no candidato do PT e não no conservador Vitor Penido. O prefeito assinou o decreto de cessão de uso do terreno e a chapa MDB-PT venceu com menos de 5% de frente. A justiça cassou a chapa afastando os eleitos já no final do mandato. Hoje a igreja apoia Vitor na disputa pela prefeitura. Os reis e o clero, sempre eles, defendendo seus “princípios”.

 

Comentar
Compartilhar

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
× Fale conosco agora!